9 de novembro de 2012

Eu, uma menina mimada

Não, minha autoestima não tá boa, e sim, este vai ser um post chato.

Agora minha cabeça dói e eu já tô afim de fazer mais um draminha. Porque eu faço muitos. Nessas horas eu penso: Ai, como minha cabeça tá doendo, que ruim, que chato... Não sou do tipo que pensa: Estou com dor de cabeça, paciência, é tomar remédio e esperar passar.

Eu tô tão cansada hoje. Mentalmente cansada. E boa parte desse cansaço é culpa dessa minha cabecinha que não pára de pensar, de querer saber como vão ser as coisas, de ter medo de errar, e de não saber lidar muito bem quando isso acontece. Eu me deixo exausta, analisando cada segundo da minha existência.

Uma pessoa próxima me disse há alguns dias que eu sou muito mimada e tenho que parar de choramingar. Que tenho que encarar a vida real com uma postura mais adulta. E isso me abriu um pouco os olhos. Porque eu vejo que sou realmente uma mulher de quase 30 anos muito mimada.

Fui muito mimada na minha infância e durante os 27 anos que morei com os meus pais. Todo esse mimo veio da minhã mãe acompanhado de uma super proteção. Raríssimas vezes eu fiz alguma atividade doméstica. Minha mãe precisava me acordar todos os dias de manhã. Nunca precisei pegar ônibus a noite. Ela resolvia quase tudo pra mim. Eu fazia manha pra acordar, pra comer, pra estudar então... A lista continua.

Hoje sou casada, faz quase 2 anos que saí de casa e ainda sou muito mimada. Vejamos o que eu ainda faço:

- Drama pra acordar. Fico enrolando na cama até tarde.
- Quando vou cozinhar, vou fazer isso achando horrível.
- Durmo com um cachorrinho de pelúcia.
- Janto sucrilhos algumas vezes.
- Não como frutas por pura preguiça de tratá-las.
- Quando tô doente parece que tô muito, muito doente.
- Fico bem irritada quando as coisas não saem do meu jeito.

E mais outras cositas. Sei que vocês pensavam que eu era mais legal, mas não sou. Eu tô achando tudo muito difícil nessa vida de adulto. Não é fácil. São muitas responsabilidades e eu tenho medo. A gente tem muita coisa pra fazer, pra lembrar, pra lidar. Às vezes eu me acho esquisita. E muitas vezes queria ser uma pessoa diferente.

Enfim, vou ficando por aqui. Foi só um desabafo antes de fazer alguma coisa a respeito.

Abraços a todos.

Update: Este post é bastante visitado, então, assim como fiz em outros, vou atualizá-lo. Com certeza, eu estava em um dia ruim quando o escrevi. E assim tem sido a minha vida de adulta, feita de dias melhores e piores. Quanto às coisas que mencionei acima, fiz alguns progressos. :) Hoje me alimento melhor e até curto cozinhar. Ainda durmo com o meu cachorrinho de pelúcia, mas isso não faz mais com que eu me sinta infantil. Quando vejo que estou irritada porque algo não saiu do meu jeito, lembro-me de que permanecer nessa atitude não irá me trazer nenhuma vantagem, pelo contrário. Nem sempre eu consigo, mas tenho me esforçado para agir menos como uma menina mimada. :) (Atualizado em 21.04.14)

9 comentários:

  1. Lis,
    só posso dizer o seguinte: preste atenção nas consequências e não faça o mesmo aos seus filhos! Quanto ao resto, amadurecer dói mas é muito bom.
    bjs e força
    Jussara

    ResponderExcluir
  2. Lis, isso passa com o tempo, pode acreditar. Eu mesma era assim, item por item que vc citou, e hoje vejo que já risquei vários itens dessa lista!
    Amadurecimento vem com o tempo, com as experiências da vida. Só porque vc é adulta (fisiologicamente) e casada não significa que vc tem que ser aquela pessoa séria e responsável ao extremo. Vc é jovem e não tem filhos, então pode se dar a alguns luxos às vezes. É claro que em certos aspectos temos que ser adultos e lidar com os problemas. Mas fazer manha pra acordar e não comer frutas por preguiça, quem nunca? De vez em quando todos fazemos isso rs

    Não cobre tanto de vc! Ter reconhecido esses seus "defeitos" já é um grande passo. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Lis, às vezes tenho vontade de sair correndo, como é chato ser adulto! Quando eu era criança, costumava achar que era o máximo, quanta ilusão. Brincar de ser gente grande cansa, exaure a gente mental e fisicamente!

    ResponderExcluir
  4. Esta semana tbm tava pensanso isso, até chorei...tive saudade de ir pra escola, fazer dever e ver sessão da tarde. Tive saudade de estar sob a tutela da minha mãe. Ser adulto dói e cansa.

    ResponderExcluir
  5. Muito obg Jussara, Lais, Mayara e Darla por compartilharem comigo suas palavras. Sempre me ajudam. Falo com sinceridade, beijos!

    ResponderExcluir
  6. ... Ser mimada não é um defeito e sim um privilégio,mas....só pra quem pode...........e não pra quem quer....
    Não me importo de ser mimada. Admito que sou e gosto!!! Adoro que me dêem mimos e acho que manifestarmos o amor que temos pelos outros não é problema nenhum. Muitas vezes me orgulho disso mesmo, de ser mimada, porque assim sei o privilégio que tive ao longo da minha vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De certa forma eu entendo oq vc fala. Claro q se somos mimados é pq alguém nos enche de carinho, cuidado e amor. Esta é a parte boa do mimo, é até saudável, quem não gosta? :) Mas acho q se torna algo negativo qdo criamos uma relação de dependência com aquela pessoa, tornando-nos adultos inseguros. Obg pela visita! (P.S. Desculpe não ter respondido seu comentário antes, não tinha visto).

      Excluir
  7. agradeço aos meus pais por terem me dado a atenção que eu merecia mais enfim me prejudiqueii até agora sou casada e não consigo parar de ser mimada as vezes quero crescer mais não consigo faço birras e choro muitoo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crescer é difícil mesmo, mas acho que o segredo é continuar tentando ser mais independente, tomar nossas próprias decisões, assim, vamos ganhando confiança aos poucos. Obg pela visita!

      Excluir

Obrigada por compartilhar a sua opinião. Marque a opção "notifique-me" para ser avisado(a) quando o seu comentário for respondido. Beijos!