14 de maio de 2012

Dar valor

Há mais ou menos uma hora, dando uma checada nas minhas redes sociais, soube da morte do namorado da minha ex-professora de inglês. Ele, conhecia só de vista, ela, conhecia muito pouco, foi minha professora por apenas alguns meses. Eles eram fotógrafos e tinham um estúdio juntos. Era um casal jovem, pareciam muito amigos e estavam juntos há anos.

Apesar da distância, de não ter contato nenhum com eles, a notícia me chocou, e foi como um susto, um chacoalhar. A primeira coisa que pensei foi nela, em como deve estar doendo essa perda. Depois pensei em mim, em meu esposo. Em como tantas vezes perco tempo chateada com ele, discutindo por algum motivo tolo. Pensei no valor sem tamanho que é tê-lo em minha vida. Que isso é o que realmente importa.

Pensei em todas as pessoas que amo. Em como conseguimos ser imaturos, vazios e ingratos. Em como podemos esquecer o valor de alguém por uma simples bobagem.

E depois de muito tempo pensando sobre tudo isso, pensei nessa mãe, que perdeu seu filho justamente no dia das mães.

Que demos o verdadeiro valor àqueles que estão ao nosso lado. Que agradeçamos a Deus por estes presentes, demonstrando que temos consciência do quanto são valiosos, cuidando com carinho. Que demos aquele perdão e tenhamos aquela conversa. Que nos sintamos felizes e abençoados por ver e ter o que realmente importa.

4 comentários:

  1. Já disse que amei sua visita lá no meu blog, mais venho aqui neste outro post seu para contar que já faz alguns meses que leio o seu blog e que gosto muito... Algumas ídeias batem muito com as minhas rs.

    Ai ai ai por esses dias eu com meu marido estamos passando por algumas coisas que está fazendo agente refletir sobre isso... O Valor das pessoas e das coisas.
    Notamos que sempre que perdemos nos lamentamos e quando nós temos não damos o devido valor... Digo um bom trabalho, um bom clima, uma boa oportunidade... coisas da vida.

    Uma belo exemplo foi os 7 dias que fiquei internada para ganhar o meu bebê. Meu marido ficou aqui em casa com nossa filhinha cuidando dela, limpando a casa, lavando as roupas, cozinhando e ainda trabalhando todos os dias... Quando cheguei em casa ele me disse que sentiu muito a minha falta e que agora aprendeu a lição rs.
    No meu caso também, senti a falta da agitação daqui de casa (coisa que sempre reclamo), senti falta do meu colchão no chão, do meu banheiro pequeno... mais o que mais me doeu foi ficar longe das pessoas que tanto amo que são meu marido e minha filhinha... Cheguei aqui em casa cheia de saudade e também aprendi a liçaõ...

    ...mais

    Ainda assim preciso trocar o estresse por bom humor, as reclamações/provocações por atitudes bonitas e palavras carinhosas... Ixi preciso mudar muito ainda!

    Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa sua reflexão a partir da minha já é o início. Obg por dividi-la comigo. Bjos!

      Excluir
  2. Oi Lis! Foi um bonito texto, com uma reflexão muito válida: é mais fácil dar valor às coisas quando às perdemos, não é? E é um péssimo hábito! Um abraço e boa segunda-Feira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por aí Mayara... E msm após esse texto, já quase esqueci disso algumas vezes. Obg pela visita!

      Excluir

Obrigada por compartilhar a sua opinião. Marque a opção "notifique-me" para ser avisado(a) quando o seu comentário for respondido. Beijos!