10 de julho de 2011

Senta aí, vamos conversar

Não tenho parado muito para escrever, não sei se por falta ou por sobra de assunto. Hoje eu queria estar com amigas na praia, conversando e desabafando um pouco. Como não vai dá, vou conversar com minhas amigas aqui no mundo virtual. Ah! Vou colocar uma praia aqui para nós, assim fica melhor! :)


Então, sentem-se meninas, vamos conversar... Essa praia fica bem pertinho da minha casa, estou até pensando em ir lá hoje a tarde, mesmo sozinha. Eu não me importo de fazer algumas coisas sozinha, na verdade, dependendo da companhia, até prefiro. Falando em companhia, eu ainda tenho poucas por aqui, quase nenhuma pra ser sincera. Eu gosto de fazer amizades, tenho verdadeira paixão em me comunicar com as pessoas, gosto de coisas como caminhar conversando, jogar boliche ou sinuca, fazer as unhas em casa com mais alguém batendo papo, ver um filminho em casa, pegar a estrada e entrar numa longa conversa... Trocar ideias me atrai, e muito! Mas certas coisas eu não me sinto bem fazendo, por exemplo: Ligar para alguém que eu mal conheço para sair, bater perna no shopping, comer... Não faz muito a minha cabeça se não há intimidade. Gosto quando a amizade surge espontaneamente, por acaso, sem ensaio nem roteiro, nasce assim da mais pura afinidade. Eita palavrinha que eu gosto! Afinidade mais liberdade é a minha combinação perfeita para qualquer relacionamento. Não gosto de pessoas que me ligam o tempo todo, que me cobram visitas, que não respeitam minha individualidade. Eu adoro interagir, mas preciso dos meus momentos.

A vida aqui anda boa, mas eu acho meninas, que não estou assim lá muito bem. Sinto falta, muita falta de ter uma ocupação, um trabalho. Ficar em casa sozinha o dia todo não está me fazendo bem. Vejo que o ritmo da minha rotina é bem mais lento mesmo eu tendo tempo de sobra pra tudo. Ficar desocupada ocupa minha mente com pensamentos negativos. Eu preciso já ocupar minha mente, mas como? Ando frustrada com outra coisa, enviei meu currículo para vários lugares, e até agora não tive nenhuma resposta. A grande maioria não me respondeu, e quem respondeu disse que no momento não há vagas.

Sabem, essa tal vida real é meio difícil. Eu fui criada num ambiente de muita proteção. Minha mãe nunca deixou eu me soltar. Não confiava em mim para coisas mínimas como andar sozinha de ônibus aos 15 anos, ou dirigir mesmo após tirar carteira de motorista. Tenho esses e muitos outros exemplos de uma criação super protetora. Sei que ela fez o seu melhor, errou por excesso, não a culpo, mas hoje só eu sei como essa super proteção me afetou. Pois a vida não esperou e disse: "- Vai! Chegou a hora!" E sem querer saber se eu me sentia pronta me mandou viver por conta própria. E às vezes é difícil, sinto dentro da alma que me esforço muito para me adaptar a esse novo mundo. Espero que não seja assim pra sempre, que uma hora eu pegue o ritmo.

Mas para que eu não saia dessa conversa com a fama de quem só sabe reclamar da vida, quero falar também das coisas boas.

Eu tenho em casa um bom ouvinte, meu melhor amigo, o meu noivo, que em breve será meu esposo. Nossa casinha é linda e aconchegante, tem nossas mãos em tudo, tem amor. Minha família é muito querida, mesmo de longe se faz sempre presente. E Deus colocou em minha vida uma pessoa que, embora também distante, tem me ajudado com suas palavras e amizade.

É isso, vou ficando por aqui, a vida real me espera. Obrigada por serem tão boas ouvintes.

Beijos e uma ótima semana!

15 comentários:

  1. Oi Lis, minha linda!
    Não se sinta uma reclamona por isso não! Todas nós as vezes passamos por isso... essa coisa de se sentir só, lenta e tudo mais, e isso independe de onde e como estamos... Logo logo as coisas se acertam e você vai ver que tudo é passageiro.

    Quando você estiver se sentindo sozinha ou aquela "tristeza" insistir em pesar nas suas costas e no seu coração pode me escrever... Não segure tudo para você, divida, fale, converse, mesmo que seja com uma amiga virtual...pq isso alivia e você acaba vendo novasa possibilidades onde pensava não existir!

    Bjus
    £ua!

    ResponderExcluir
  2. Lis, adorei essa conversa.
    Eu tenho sentido um pouco de dificuldade para fazer novas amizades nesses últimos tempos. Não sei se é a superficialidade do momento, ou das pessoas, ou se a inadequação é minha mesmo.

    Os livros tem me feito uma ótima companhia nos momentos em que a minha mente anda vazia, querendo me deixar melancólica com alguma bobagem.

    Não tenha pressa, um passo de cada vez. Na hora certa as coisas vão acontecer para você. Enquanto o emprego novo não chega, vá se preparando! Leia, estude, escreva, ocupe a sua mente e seja feliz!

    Um beijo!
    =)

    ResponderExcluir
  3. Oi Lis! É difícil se adaptar a uma rotina nova, e tenho certeza de que quando você menos esperar a afinidade vai aparecer, essa palavrinha complicada! Infelizmente, fazer amigos é mias difícil do que achar alguém para passear no shopping. Eu torço muito por vocês, espero que em breve seu emprego dos sonhos apareça. enquanto isso, que tal desenvolver algum hobbie? Algo que te faça aproveitar o tempo, desligue do mundo real e te momentos simples de prazer? Pense no assunto!
    Um abraço e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Com o passar do tempo Lis, fui me tornando uma pessoa mais confiante no destino. Explico.

    Quanto mais eu planejava algo, principalmente a longo prazo, menos as coisas aconteciam do jeito que eu queria ou pensava ser melhor.

    90% aconteceu diferente e, surpreendentemente, melhor! Por isso continue aguardando pelo seu novo trabalho, mas não se sinta mal ou derrotada se não der certo. Às vezes não era para ser nenhum desses mesmo. E continue procurando e correndo atrás. Quando tiver que aparecer algo SEU, ele vai chegar na hora certa.

    Temos que ser mais confiantes no que está reservado pra gente. Pense assim, talvez isso possa te ajudar.

    Por exemplo, semana passada fiz dois testes para a tv, fiquei super empolgada com aquele mundarel de estúdios, câmeras, produção, gente bacana,etc... mas penso que se eu não for chamada, não era para ser. Penso também que lá na frente tenha outra oportunidade (quem sabe até melhor) me esperando, mas não na hora que EU QUERO, e sim na hora CERTA.

    Bj querida!

    ps.: demorou pra vc ir à praia hein!

    ResponderExcluir
  5. Ahhh, adorei a conversa, Lis!! rsrsrs
    Menina, voce se parece demais comigo... vou te dizer o porque:
    Primeiro, estou na mesma fase que voce: sozinha em casa a maior parte do dia, procurando (desesperadamente) trabalho, e o telefone sem tocar...
    Segundo: tambem so gosto de amizade espontanea! Se nao rolar afinidade, eu "empanco" e nao tem jeito! Igual a voce, tambem nao ligo pra qualquer pessoa so pra nao ter que sair sozinha! Vou sozinha mesmo, e me sinto bem melhor assim! Mas as pessoas nao entendem isso, neh? A gente fica sendo sempre o "E.T" anti-social...
    Terceiro: igual a voce, tambem nao gosto de amiga grudenta, dependente de mim, "cobradora" de telefonemas e que queira me usar como uma "muleta emocional"... ja perdi algumas amizades na vida por causa disso, porque elas nao entenderam esse meu jeito. E ja fui muito cobrada por isso tambem, como se eu tivesse que mudar meu jeito para agradar o mundo.
    Quarto: super protecao!!! Sim, conheci isso a minha vida toda (MUITOOOOO!!)... levei tempo pra entender que isso era a forma de meus pais me amarem, tempo para deixar de culpar eles por eu ser tao medrosa e insegura, e mais tempo ainda para aprender a sair debaixo das asas deles... e foi dificil, viu! Porque o mundo la fora nao eh gentil nem cuidadoso conosco, e nao eh facil se sentir "a desprotegida" depois que a gente abandona o ninho... ainda sofro um pouco com isso ate hoje! Alias... um pouco nao... um "muito"!
    E, pra finalizar o capitulo das coincidencias, tambem tenho na minha casinha o meu porto-seguro, onde sei que posso contar sempre com meu marido, que eh meu grande amigo e companheiro... e uma familia presente em todos os momentos, apesar da enorme distancia.
    Ah, como eh bom conversar, neh?!! Principalmente quando a outra pessoa parece tanto com a gente e entende tao bem o que queremos dizer...
    E que praia lindaaaaa, menina! Se joga nesse mar por mim!
    beijosss, e uma otima semana pra voce!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo, Lis!
    Nesse ambiente virtual as vezes nascem amizades sinceras..
    Eu também moro pertinho de você, pertinho de outra praia..

    Beijos,

    ResponderExcluir
  7. Ô, Lis...as coisas vão entrar nos eixos, tudo tem o seu tempo (que não é o mesmo tempo que a gente estipula...). Aproveita esse momento bom, a casa nova e relaxa. Nada volta, tu sabe, e é importante não queimar etapas.

    * Também adoro bater papo na praia, em um fim de tarde.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lis, eu sei bem o que você tá passando, porque também me mudei para outra cidade e tive a sensação de que a minha vida parou rs, também sou como você para fazer amizade, tem que ter afinidade e não sou fácil de sair tendo intimidade também, quando o assunto é relacionamento, de qualquer tipo, vou devagar. Eu acho que só sabe o que é isso quem está vivendo mesmo, o que ajuda é manter o pensamento de que é uma situação provisória e que a tendência é nos adaptarmos e tudo se resolver!
    Obs: sobre os problemas do blog, continua sem saber o porque da confusão, sei que tem a ver com a mudança de endereço e o tempo que leva para atualizar isso, mas quanto tempo leva eu não faço idéia.

    ResponderExcluir
  9. Lis, como me identifiquei com seu texto e com você! Adoro os mesmos programas! E dispenso o shopping, as compras e esses excessos desnecessários!

    Falando da meditação que você me perguntou, eu pratico a Vipassana! Uma técnica muito boa! Aqui no Rio tem um centro muito bom, o Dhamma Shanti! Mas podemos pesquisar algum perto da sua cidade.

    Uma ocupação é sempre bom para a cabeça! Invista numa coisa que você goste muito de fazer! Eu estou no inverso, jovem querendo aposentar! Já não aguento mais as correrias da vida, almejando uma vida de paz! Se eu conseguisse alinhar o trabalho e a paz, eu seria o Ser mais feliz desta galáxia! Mas nunca é possível ter e Ser tudo o que queremos. Nossas escolhas as vezes nos levam para caminhos difíceis, árduos, de muito sacrifício! O bom é sempre tirar o ouro da situação e manter a consciência equânime!

    Muito bom te conhecer e compartilhar afinidades!

    Com amor,
    Flor

    ResponderExcluir
  10. Oi Lis, acabei de encontrar seu blog pelo o da Flávia Shiroma e logo de cara me identifiquei com este post.
    Ao contrário de você, moro sozinha, longe dos meus pais desde os 12 anos.
    Mas sei muito bem pelo o que está passando, posso dá uma dica? Procure urgentemente ocupar sua mente, com um livro, um passeio, ou até mesmo estudar para um concurso, sei lá...
    Se precisar conversar estamos aqui!
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Lis ficar sozinha é ruim mesmo como já disse um animal de estimação é uma ótima companhia...quem sabe um peixinho ou um passarinho????

    As coisas acontecem tudo ao seu tempo... tenha paciência... o emprego certo chegará na hora certa e você se sentirá bem melhor... beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Lis,

    usa esse tempo livre para blogar e conhecer mais blogs!

    Eu sei que a pessoa não pode passar o dia na frente do computador, mas depois de ter feito tudo, pq não? Qto ao emprego, vc está fazendo a sua parte,então quando vc menos esperar,o emprego chega!

    Vc já considerou se exercitar na praia? Caminhar? Conversar no skype talvez? Vc gosta de skype? Às vezes eu passo o dia em casa, quero conversar com o povo que tá no msn mas todo mundo tá no trabalho ou a minha família nunca tá online :(!

    Se vc quiser, a gente pode marcar um horário e conversar por lá.

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Olá Lis,
    Nem sei como vim parar no seu mundinho virtual, mas com certeza não foi por acaso...me identifiquei bastante com seu post, também estou em fase de muitas mudanças, mas é incrível a força que as coisas tem quando elas precisam acontecer...
    Bjks...
    Vel

    ResponderExcluir
  14. quando a gente muda de ares a adaptação leva sempre um tempo, eu sou a maior fã das amizades que acontecem por acaso e adoro que pessoas incríveis estejam tão perto de mim. acho que é uma fase, logo logo você vai se soltar e que sorte a sua não estar sozinha! que leve o tempo necessário para ser verdadeiro.

    beijo

    ResponderExcluir
  15. Lis,
    Não fique trixte :(
    Sim, mudar de cidade, de casa, não conhecer ninguém e ansiar por um emprego, é ruimmmm a beça!
    Acho que nesta hora, não existem palavras que possa ajudar, que possam mudar sua frustação!
    Mas saiba que aqui no mundo virtual, você tem várias amigas que te acompanham e estão prontas para te dar a mão, para lhe ajudar com mais um passo.
    E quando quiser tomar um café virtual, é só avisar!
    Beijocas
    Mademoiselle Susie

    ResponderExcluir

Obrigada por compartilhar a sua opinião. Marque a opção "notifique-me" para ser avisado(a) quando o seu comentário for respondido. Beijos!