4 de março de 2011

Coisas boas pra contar

Vou começar este post agradecendo a todos os comentários deixados no texto anterior. Li cada comentário cuidadosamente, refleti neles, e com certeza as palavras ali deixadas já estão me ajudando. Obrigada a todos!

Sou uma pessoa que supervalorizo meus defeitos e erros (que às vezes, são erros apenas do meu ponto de vista), e que lido com minhas qualidades e acertos como apenas o cumprimento do esperado. Isto é ruim, não é verdade? Então, quero começar um exercício pessoal. Quero pôr alguma graça nos contratempos da vida, e comemorar minhas pequenas vitórias. Tudo isso com o objetivo de melhorar minha autoestima e de modificar o ponto de vista sobre mim, em primeiro lugar, sobre a vida e sobre as pessoas. Costumo ser muito generosa com todos e muito severa comigo mesma, mas daqui a um tempo, espero iniciar essa mesma frase com um "costumava..."

Tem coisas da minha história que pretendo compartilhar com vocês, como também desejo escrever algo que possa ajudar, motivar e acalmar quem esteja precisando. No momento, o que é natural, estou muito centrada em mim e nas mudanças que estão acontecendo na minha vida. Tenho dividido com vocês as dificuldades, mas queria também dividir as coisas boas. Então, vamos lá!

Bom, uma coisa da qual eu sentia muito medo era como eu iria suportar a saudade da minha família, meus pais e minhas duas irmãs. Eu queria muito sair de casa, morar fora, amadurecer, mas tinha receio de não conseguir ser feliz longe deles. Também tinha receio de que algo mudasse, de que quando eu voltasse pra casa, pra passar alguns dias, as coisas estivessem diferentes, e eu me sentisse uma estranha dentro da minha própria casa. E tenho feito descobertas positivas com relação a isso. Pra começar, pelo menos até agora, tenho lidado super bem com a distância e com a saudade. Sinto vontade de vê-los, de fazer coisas com eles, de mostrar algo legal que vi na rua, de mostrar o que comprei, etc., mas é uma saudade mais branda, mais saudável, aquela saudade boa, e acho que sim, que é possível eu ser feliz mesmo longe da minha família. Ah, outra coisa, quando voltei pra casa pela primeira vez, algumas coisas estavam diferentes, minha irmã menor tinha tomado conta do meu guarda-roupa, e foi engraçado eu de mala no meu próprio quarto, mas fora isso, tudo parecia estar como antes, e estava, tudo como sempre. Também percebi que a distância acaba por aproximar de uma outra forma, eu e minha mãe conversamos mais ao telefone, com minhas irmãs faço isso pela internet ou por SMS, e troco e-mails com o meu pai, coisa que não fazia antes. Muitas vezes, na correria do dia-a-dia, a gente estava junto, mas nem dava tempo de trocar muitas palavras. Então houve uma aproximação boa e gostosa.

Algo que me impressionou aqui é que descobri que não sou um desastre na cozinha. Estou tão feliz com isso! Muito mais do que posso transparecer. Para muitos pode não ser nada demais, mas pra mim, foi uma descoberta sublime! Eu aprendi a cozinhar tão rápido, que nem acredito! Gente, eu não sabia nem fazer arroz. Como nunca gostei muito de comer, nunca me interessei em aprender a cozinhar. Faço coisas básicas como arroz, feijão, carnes, purê de batatas, macarrão... Até me arrisquei num risoto dia desses. E fica tudo tão gostosinho, eu gosto, meu noivo também. Não estou matando o pobre de fome! E tudo isso em apenas 1 mês! Estou radiante! Hahaha...

Algo legal também pra contar é que acho que administro bem nosso micro apartamento. Comprei as coisas que estavam faltando, alguma decoração... Aqui antes era um apartamento de menino, com livros e carrinhos, meu noivo morava sozinho, mas eis que chegaram meus lençóis florais, minhas toalhas combinando, uns jarrinhos, porta-retrato com a foto do casalzinho, garrafinhas aromáticas, e "tchanram!" o mini apê se transformou num lar! :) Mantenho tudo limpinho, organizado, cheiroso. Desenvolvi o orçamento mensal, comparo os preços no supermercado (nunca fazia isso, não sabia o preço de nada), e pareço a minha mãe explicando a faxineira o que fazer. :) Ah, pode não ser muito, mas me sinto tão satisfeita em ver que não me tornei uma adulta desorientada, que sim, posso tomar conta de uma casa, algo que pressentia que podia fazer, foi muito bom não ter me desapontado.

Também já estou dirigindo por aqui. Mesmo sendo uma cidade muito maior que a que eu morava e com um trânsito louco, eu entro no carro confiante e nem sinto o coração acelerar, uma calma toma conta de mim e lá vou eu. Às vezes ela some quando eu percebo que errei o caminho e me perdi, mas no final, ainda que seja com meu noivo falando comigo no celular, olhando do trabalho a tela do Google Maps tentando descobrir onde eu fui parar, dá tudo certo. :)

Acho que essas foram as minhas primeiras conquistas até agora. Amanhã estou indo passar 1 semana na minha outra casa (ainda não consigo dizer "casa dos meus pais"), vou matar as saudades das minhas irmãs queridas, falar de maquiagem, esmaltes e ver comédias românticas. Talvez eu fique off por uns dias, mas será pouquinho. Desejo a todos um excelente carnaval (pra quem mora em lugares que terá carnaval) e obrigada por ler este post imenso!

Beijos!

14 comentários:

  1. Oie Lis, mais tarde eu passo aqui pra ler o post, mas quero dizer que a sua pergunta ao Caramelo foi respondida no post de hj. Se quiser pode ir dá uma conferida lá!

    Grande abraço!

    Link :


    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/2011/03/pergunte-ao-caramelo-tema-cristianismo.html#axzz1FdGxLB5z

    ResponderExcluir
  2. Lis, fico tão feliz por você estar se adaptando a nova vida.
    Bom Carnaval, mesmo que seja descansando.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  3. Lis, como vai?
    gostaria muito de trocar e-mails com vc. tenho tantas coisas pra falar... li seus posts e acho que posso tentar junto com vc a entender muitas coisinhas que vc esta sentindo. meu email é relatosdenos2@mail.com meu blog é http://diariodejuaresesandra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. ô Lis, como é bo ler sua história e asabe, até me emocionei aqui. É tudo tão parecido...a diferença é que não tenho sabido aprender ou aproveitar cada coisa. Não estou lidando bem com tudo...enfim. vou aprendendo contigo. bjo e ótimo feriado.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lis... mudança sempre causa uma certa insegurança né... não senti isso quando fui morar com meu marido porque me mudei aos poucos, alternava minhas noites na casa dele e na casa da minha mãe, até que depois de quatro longos meses fiquei por definitivo com ele. Sei que é bem difícil se desligar de uma vida com seus pais para ter sua vida com seu noivo, mas posso falar que é muito bom, você pelo jeito está se dando muito bem, continue assim.
    Quanto a chamar a casa de seus pais de sua outra casa é normal, pelo menos para mim, quando falo com minha mãe e irmãos sobre a casa deles me refiro "lá em casa" mesmo fazendo 14 anos da minha mudança...rsrsrs...

    Brigadinho pela visita, sigo aqui, beijão...

    ResponderExcluir
  6. Oiiii querida

    va, mate a saudade, pois um colinho é sempre bom!
    Tudo com o tempo a gente acostuma!
    Bom carnaval!
    bj

    ResponderExcluir
  7. OTIMAS noticias mesmo, Lis!!!
    Sao essas pequenas coisas que vamos conquistando aos pouquinhos que nos fortalecem nessa hora!
    Em tao pouco tempo voce ja esta dando enormes passos ao sair sozinha sem medo de nao achar o caminho de volta, ao transformar um apartamento em um lar, ao aprender a cozinhar para voces dois, ao se transformar em uma dona-de-casa organizada...
    Voce foi bem mais rapida do que eu, viu!! Parabens!!!
    Pode se orgulhar mesmo, porque voce ja fez grandes conquistas na sua nova vida!!!
    Quanto ao "voltar pra casa pela primeira vez", posso lhe garantir que sinto o mesmo receio que voce sentiu, de me achar uma "estranha no ninho"... Isso pra mim ainda nao aconteceu... ja faz mais de 4 anos que nao volto... e me sinto extremamente insegura com o que vou sentir quando chegar a hora. :(

    Sobre "a distancia acaba por aproximar de uma outra forma", concordo 100% com voce! Isso aconteceu comigo e com minha familia tambem! Foi uma grande surpresa pra mim!
    Aproveite muito os dias de carnaval com sua familia! Sinto uma falta enorme de poder fazer isso... e conversar sobre esmaltes, maquiagem... ai que delicia!!!
    Aproveite!!!!
    beijossss
    ah, obrigada por seu ultimo comentario, viu!

    ResponderExcluir
  8. kkkkkk...Tô rindo de mim...deveria ter lido essa postagem antes da que a Flavinha (carinhosamente)me pediu. É isso né moça? CRESCIMENTO! E vou lhe confessar: independente da idade ele dói e nos amendronta. Não é por acaso que as crianças, em fase de estirão, tem o que é chamado tb pela pediatria: DOR DO CRESCIMENTO...elas sentem nos ossos (que doem messssmo)e nós na alma!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  9. Vc já fez grandes mudanças.Deixar cidade e a casa dos pais é em si uma grande mudança.Tomar conta de uma casa e tentar organizar e colocar ordem nas coisas é outra grande mudança e elas são muito boas!

    Meus parabéns com cada conquista alcançada, seja na cozinha, na direção ou no orçamento, o importante é crescer e amadurecer sempre!

    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Que bom que vc está se adaptando. Sabe a gente "cresce" muito quando está longe da família e por+ incrivel que pareça é mais valorizada, justamente por estar vivendo e valorizando cada ponto. Familia é importante mais sair dela também, afinal a distância faz com que aprendamos a valorizar as pequenas coisas (como os e-mail's, telefonemas)Logo logo vc vai estar rindo de cada atrapalho que existir em sua vida, mas lembre é um exercicio diário não se cobrar tanto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Eu apóio a tua iniciativa porque tão importante quanto ser crítico é ser generoso consigo.

    Beijos, saudades! =)

    ResponderExcluir
  12. Oi Lis, parabéns pelas suas consquistas, e valorize-as mesmo, é sempre muito difícil crescer, e parece que você está tirando de letra! Eu estou nessa fase gostosa de decorar a casa, e criar um lar, mas confesso que dá dor no coração quando vou na caa da mamãe e vejo que meu quarto, tão rapidamente, virou um escritório rsrs
    Julgue-se sempre com a mesma benevolência que julga os outros, você merece tanto amor quanto carinho seus mesmos, quanto os outros! Um beijo e boa semana

    ResponderExcluir
  13. Lis, já que você progrediu com relação a certas inseguranças, curta seu novo momento de vida, sua nova fase e também registre essa lição que a vida lhe deu: não tenha medo nem seja pessimista antes de tentar pisar em novos terrenos.

    Vivendo e aprendendo.

    Fico feliz por voce. De verdade.

    ResponderExcluir

Obrigada por compartilhar a sua opinião. Marque a opção "notifique-me" para ser avisado(a) quando o seu comentário for respondido. Beijos!